uma borboleta morta

01

 

Eu topei com uma borboleta morta hoje. E fiquei chocado com isso. E fiquei chocado, até mesmo irritado comigo por ter ficado chocado e por não entender por que, diabos, isso me impressionou.

Entendo que, no meio de tantos assuntos prementes, urgentes, e fundamentais, clamando por um texto, por uma opinião, por uma posição, falar de borboletas mortas é praticamente um anticlimax, um nonsense, uma falta de consideração. Que seja. Foi o que vi e foi o que senti.

Até que, afinal, entendi (eu acho) o choque. Não foi pela cena do pequeno corpo, pois nada de bizarro ( na prática, era somente um pequeno pedaço de tela colorida, meio mofado, no chão). Nem pelo término de uma indeterminada Vida em geral, idealizada, formal, ou de Beleza (também generalizante).

Eu simplesmente não sabia, nem nunca sequer pensei isso na minha vida, que as borboletas também morriam…

 

Explore posts in the same categories: Crônica

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s