chicote branco

 

 

sabe o chicote branco que estalava,

cortava e retalhava carnes?

sabe o pé branco que pisava,

chutava e moía carnes?

sabe a palavra branca que humilhava,

feria, e lacrimejava carnes?

pois a carne tinha nome e é NEGRO

a carne tinha vida e é NEGRA

tinha voz e é NEGRA

a carne era mais do que nervos,

era mais do que pés e mãos,

costas riscadas e virilhas arruinadas,

e seios e vaginas esburacadas,

nádegas despeladas ou olhos vazados,

era mais do que carne, e é

era mais do que dor, e é

era mais do que banzo, e é

era mais do que correntes, e é

eram mais do que morte, e é

era mais do que tudo, e é

sabe o chicote, branco?

quem diz que parou de cortar, BRANCO?

a carne navalhada, cortada, perfurada,

abafada, humilhada, morta, pisada,

escondida, destruída, desalojada,

perseguida, desprezada,

continua NEGRA

 

chicote branco

claudinei vieira

 

Explore posts in the same categories: Poesia

Tags:

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s