a medida da chuva mormaça

10801728_1600303370189074_3407318993780195064_n

 

o abafo pesado da chuva mormaça
traz sua medida

a vida sacodida da folha
quebrada da árvore manca molhada
até soltar-se ao ar
vale uma medida inteira

o salto do carro esporte vermelho laminado
dispensado do tempo acurado
ao voar do chão e até soltar-se ao ar
antes de bater ao poste,
vale sua medida completa

o impacto da folha
ao, afinal, cair no solo úmido
e soltar-se das amarras
da impetuosidade inconstante do vento,
é toda sua medida;
abala sistemas,
descompassa o mundo,
afeta sua comodidade.
mesmo que não o saiba.

o impacto do carro,
ao inevitavelmente bater
no poste úmido teimoso
e soltar-se da tirania da vontade,
contêm sua medida concreta;
destroça o câmbio, os nervos, o corpo,
divide o universo, fratura despedaçada,
a ossatura das engrenagens
de frágil aço distorcida exposta
do carro e do animal

na exata medida curta,
intensa, imensa, explosiva,
de suas vidas,
do vôo da folha,
do vôo do carro

a folha plana, nada, escorre para bueiros
a folha entope bueiros
o carro estanca, nada escorre, despedaça bueiros
a morte entope bueiros


claudinei vieira

Explore posts in the same categories: Poesia

Tags:

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s