descongelar ruas

 

 

o frio envelhece as ruas de São Paulo,

já encarquilhadas de ventos gelados passados

incrustados nas torrentes de mendigos descobertos

por folhas de linho desbotadas.

 

falta poesia em São Paulo, talvez?

não

falta poesia em São Paulo

talvez

 

A meteorologia diz

neste ano, passamos pela tarde mais fria

A meterologia não diz

que assim esteve congelada a poesia

e pessoas de rua.

Tecnicamente falando,

a meteorologia esqueceu das pessoas de rua,

ela sempre esquece.

Assim como São Paulo.

 

A poesia, porém, não aquece as avenidas e praças, sinto dizer.

Podemos, deveríamos, saltar por prédios.

Podemos, deveríamos, plantar montanhas.

Podemos, deveríamos, descongelar ruas.

Inclusive, o poeta.

 

claudinei vieira

Explore posts in the same categories: Poemagem

Tags: ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s