Oscar! Oscar! Oscar!

 

oscarEm época do pelado de Hollywood, costumo repetir este texto que escrevi há algum tempo e do qual alguns amigos já devem estar de saco cheio. Mas repeti-lo-ei de novo aqui e agora por motivos muito bons: sempre deve ter uma ou outra pessoa que ainda não leu ou conseguiu escapar de fazê-lo até agora; estou com um preguiça tremenda de escrever algo diferente; e, principalmente, todas essas palavras são todas válidas, o meu pensamento continua o mesmo. Então, é isso:

A cerimônia da entrega do Oscar é a maior festa brega do planeta. É a demonstração cabal e absoluta da boçalidade, babaquice, arrogância e breguice dos norte-americanos elevada à enésima potência e transmitida para o mundo todo. É a vangloriação e endeusamento de uma indústria de importância nacional (cinema nos Estados Unidos é uma questão de Estado) que se impõe e arrocha as demais culturas de outros paises. E eles se adoram se mostrar tão idiotas e prepotentes (através de suas roupas, através de suas falas [as eternas alusões e piadinhas que somente os norte-americanos podem entender e que são o terror dos tradutores simultâneos], através da demonstração escancarada de luxo do mais puro mau-gosto). De vez em quando, tentam adotar uma postura mais ‘séria’, no que se tornam mais ridículos ainda (como quando privilegiaram artistas negros, querendo dizer que o racismo havia terminado, pelo menos no cinema) (ou quando dizem que a era dos blockbusters terminou, e o que vale são os filmes de pequeno orçamento e com boas idéias… até parece). No entanto, são somente lapsos. No ano seguinte, eles voltam ao normal.

E eu adoro! Sou viciado. Há muitos anos não perco um sequer. E faço todo o cerimonial: na medida do possível, assisto todos os filmes indicados, e para a noite pego as listas, faço palpites, vou marcando à medida que os ganhadores são anunciados para saber se acertei ou não, tudo envolvido com bastante pipoca e coca-cola, é óbvio. Infelizmente, minha pipoca é feita com óleo normal de cozinha ou manteiga, ao invés da gordura de porco entupida de colesterol utilizada pelos norte-americanos, mas tudo bem, nem tudo é perfeito.

Algumas pessoas, alguns amigos, se surpreendem e indagam como eu, que tenho uma certa inteligência e um certo bom-gosto e um certo discernimento e gosto de cinema europeu, chinês, coreano, iraniano, brasileiro, e filmes-de-arte (seja lá o que isso for..) e independentes, perguntam como posso gostar de cinemão norte-americano. 

Bueno, eu poderia responder que minha cultura cinematográfica foi totalmente moldada e construída pelo cinema de Hollywood desde a minha mais tenra infância, através dos cinemas de bairro e pela televisão (aliás, também sou fanático pelas séries e sitcoms), mas que isso não me impede de apreciar outros tipos de propostas e idéias. Poderia responder também que, na verdade, há sim muita coisa boa neste cinemão, nem que seja pelo mais absoluto desejo de simplesmente se evadir da realidade com filmes idiotas, pois isso também é uma função primordial do cinema (perdão aí para os que acham que cinema só pode ser de arte [seja lá o que isso for] e ‘cabeça’). Poderia responder inclusive que isso também não me impede de perceber toda a carga da questao político-ideologica que o cinema norte-americano carrega e que é tão bem expressa pela cerimônia.

Poderia responder. E em geral é o que respondo. Mas agora só na segunda-feira. Depois da entrega. Com licença, agora vou verificar se estou devidamente abastecido de milho pra pipoca.

Explore posts in the same categories: Sem categoria

Tags:

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

6 Comentários em “Oscar! Oscar! Oscar!”


  1. […] com muito prazer e sem nenhuma dor de consciência (e outros argumentos podem ser vistos AQUIneste texto, uma espécie de ‘manifesto oscar do […]

    Curtir

  2. Maria Odila Says:

    E tu, sumido ainda?

    Curtir

  3. akio Says:

    Pois é, Caludinei, acertei o número de Oscar do Benjamin e do Sean Penn. O resto, como não assistí, não posso falar nada.
    Mickey Rourke até que merecia pelo seu esforço. Não asssisti ao filme, mas elee costuma parecer bem em cena, principalmente de vilão.´
    Abraço
    Akio

    Curtir

  4. Tati Says:

    Vc nao vai falar nada do Mickey Rourke???

    Curtir

  5. akio Says:

    Realmente, Claudinei, a ceromonia do Oscar é tudo de de brega, kitch, mas o marketing deles funciona. Todos os cinéfilos assistem, até os fãs do cinema europeu, pelo menos as pessoas que tem mais de 50.
    Palpites.
    Não assistí a nenhum filme, mas pelos comentários boca a boca, Benjamin Brad Pitt de Linch leva uns três, embora, como você pesquisou, há cenas semelhantes de Forrest.
    Como melhor atriz, Merryl Streep(Dúvida), embora torça para Angeline(A troca)Jolie-linda, linda, linda!
    Sean Penn talvez leve também, o cara é machão e transformou radicalmente o rosto(ficou com cara de gay)Incrível!
    Coadjuvantes: Anne Hattaway porque chamou-me atenção na primeira olhada(talvez por parecer Michael Jackson)
    Hoffmann tem carisma. Só isso.
    Claudinei, espero que acerte tudo.
    Abraço
    Akio

    Curtir


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s